(51)  3371.6200       99388.4440

(51)  3464.0076

Responsável Técnico:
Dr. Luciano Zuffo
CRM-RS:  26798 / RQE 23181

(51)  3371.6225       99167.0593

Estacionamento no local

(51)  3783.8065       99167.2901

(51)  3191.9607

BLOG

DIU e implantes são mais eficazes que pílula contraceptiva (Hospital Dia São Pietro)

22/11/2012


Novo estudo conclui que métodos de longa duração são 22 por cento mais eficazes

Os contraceptivos de longa duração, como o dispositivo intra-uterino (DIU) ou os implantes hormonais, são 22 por cento mais eficazes que a pílula ou outros métodos que necessitam de monitorização periódica, conclui um estudo de três anos levado a cabo na Escola de Medicina da Universidade de Washington.

No estudo verificou-se que a pílula contraceptiva, o adesivo ou o anel vaginal são especialmente menos eficazes em mulheres jovens. Para as menores de 21 anos que usam estes métodos de curta duração, verificou-se que o risco de uma gravidez indesejada é quase o dobro do risco em mulheres mais velhas. Isto sugere que o aumento da utilização de métodos de longa duração por adolescentes pode prevenir substancialmente gravidezes indesejadas, indica a Universidade de Washington em comunicado.

«Este estudo é a melhor evidência que temos de que os métodos de longa duração são muito superiores à pílula contraceptiva, ao adesivo e ao anel. O DIU e os implantes são mais eficazes porque as mulheres podem esquecer-se deles depois de os médicos os colocarem», refere Jeffrey Peipert, um dos autores do estudo e professor de ginecologia e obstetrícia na Escola de Medicina da Universidade de Washington.

 


O DIU é eficaz até um máximo de dez anos e os implantes hormonais colocados no braço são métodos eficazes durante três anos.

«Nós sabemos que os DIU e os implantes têm taxas de insucesso muitos baixas – menos de um por cento. Porém, apesar de serem muito eficazes e estar provado muito seguros para mulheres e adolescentes, são escolhidos por muito poucas mulheres», refere Brooke Winner, investigadora líder do estudo.

O estudo envolveu 7500 mulheres dos 14 aos 45 anos. Durante os três anos de duração do estudo, 334 mulheres engravidaram. Dessas, 154 foi por falha do método contraceptivo (133 usavam contraceptivo de curta duração e 21 usavam DIU ou implante).

Please reload

CAPA - REVISTA MAIL3.jpg
Posts em destaque

Traumatologia - Artrose: O que é, Sintomas, Causas e Tratamento

30/11/2017

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga nossa fanpage
  • Grey Facebook Icon

CLIQUE AQUI 

e faça o download da versão online da Revista São Pietro News!