(51)  3371.6200       99388.4440

(51)  3464.0076

Responsável Técnico:
Dr. Luciano Zuffo
CRM-RS:  26798 / RQE 23181

(51)  3371.6225       99167.0593

Estacionamento no local

(51)  3783.8065       99167.2901

(51)  3191.9607

BLOG

Dores no Joelho? Pode ser Condromalácia Patelar. Saiba o que é e como tratar.

26/04/2017

É muito comum conhecermos pessoas, ou até nós mesmos, sentirmos dores em algum ou até mesmo nos dois joelhos. Muito se fala da artrose, de problemas nos ligamentos, tendinite e por aí vai. Mas você pode sofrer de outro problema, chamado Condromalácia Patelar. Você provavelmente nunca ouviu falar dela, mas não é tão comum quanto parece.

 

 

O que é:

 

A Condromalácia Patelar, como o próprio nome diz, se refere a patela, o pequeno osso frontal do joelho, que comumente é chamado de “rótula”. A patela é uma das estruturas que faz o elo dos nossos joelhos, pois interliga, através de tendões, o nosso fêmur e a tíbia e tem papel fundamental no movimento de flexão da perna.

 

Na sua parte traseira (face), possui inúmeras facetas que permitem a articulação perfeita com a tróclea do fêmur. As facetas são revestidas por cartilagem, assim como o fêmur e a tíbia em suas extremidades. Graças a isso, fazemos nossos movimentos de joelho. O problema, ou seja, a Condromalácia, ocorre quando essa cartilagem da patela sofre um desgaste, que possui níveis diferentes de gravidade. É aí que as dores começam a aparecer.

 

Existem 4 classificações deste desgaste, conforme figura abaixo:

 

 

 

Por que ocorre?

 

A Condromalácia Patelar não tem um motivo específico. Ele pode estar ligado a um grande volume de impactos ao longo da vida que os joelhos sofrem. Também pode ter relação com alguma má formação estrutural, com a pisada errada (que pode ser causada por uma má formação, calçados inadequados etc.) e pode ser uma soma destes fatores.

Quem costuma correr já deve ter ouvido falar do “joelho de corredor”. Correr é uma atividade que gera impacto constante para o joelho, logo, as chances destas pessoas desenvolverem o problema, principalmente os que não possuem preparo físico, treino e calçados adequados, são maiores.

 

É importante citar que não existe idade específica para a ocorrência deste problema, embora quanto mais idade se tenha, maior a chance de existir desgaste da cartilagem.

 

 

Quais são os sintômas?

 

- Dores constantes no meio do joelho

- Inchaço na parte inferior do joelho

- Desconforto (em nível inicial) ou dores constantes, ao correr ou ao subir e descer escadas.

- Em nível intermediário, estalidos no joelho ou sensação de ter conteúdo arenoso nele. Isso pode ser sentido ao flexionar o joelho e com maior facilidade, colocando a mão sobre o joelho no momento da flexão.

 

 

 

Diagnóstico

 

Um diagnóstico genérico pode ser feito através do tato da mão nos joelhos, conforme relatado acima. Entretanto, para o diagnóstico detalhado do seu traumatologista e/ou ortopedista, a ressonância magnética do joelho que acusa dor é o exame mais preciso para visualizar a Condromalácia e o nível de desgaste em que se encontra, bem como indicar o tratamento mais adequado.

 

 

Tratamento

 

Infelizmente não existe cura para a Condromalácia, pois apesar de muitos estudos serem realizados, estamos longe de termos algo que regenere ou substitua a cartilagem danificada. No entanto, existem muitas formas de atenuar ou até eliminar as dores e desconfortos. Se está em fase inicial, é possível trabalhar para evitar um desgaste maior.

 

A fisioterapia com corrente elétrica e ultrassom é um ótimo tratamento para reduzir as dores. Algumas técnicas como a Propriocepção são muito utilizadas, pois auxiliam no reforço muscular, melhora de postura e equilíbrio do corpo nos movimentos diários, o que acaba por aliviar a carga e pressão sobre os joelhos.

 

Como já visto acima, o reforço muscular principalmente do quadríceps e dos músculos abdominais auxiliam muito na redução das dores, pois músculos fortes amortecem o impacto e suas consequências aos joelhos. Quanto mais forte for o seu corpo, menor a chance de desenvolver ou se já possuir a condromalácia, piorar o quadro. O reforço pode ser feito através da musculação tradicional, pilates e yoga.

Os alongamentos são parte importante do tratamento e não se deve esquecer jamais de realizar após os exercícios, no entanto, pode ser realizado diariamente independente da prática ou não de atividade física.

Lembramos que a perda de peso também é um fator preponderante, pois a carga sobre os joelhos reduz.

 

A prevenção de impacto e atrito é importante para administrar a situação. Evitar esportes como corrida, futebol, vôlei, basquete e outros com impacto constante é primordial. Evitar subir e descer escadas também.

 

Existem profissionais que indicam o uso de Glucosamina, Condroitina e outras substâncias em conjunto como um suplemento que auxilia na reconstituição da cartilagem, no longo prazo. A suplementação é diária. Porém, não há estudos científicos que comprovem a eficácia do tratamento. Muitos médicos e estudos inclusive questionam e afirmam que não há resultados positivos no uso da suplementação.

 

A viscossuplementação com ácido hialurônico é um procedimento que vem sendo praticado há algum tempo já, com resultados positivos e de forma muito simples. Ela repõe líquidos sinoviais do joelho. Podemos simplificar, dizendo que é um lubrificante para as estruturas cartilaginosas e ósseas, que reduzem impacto e dores. A aplicação do líquido é realizada através de injeção no próprio joelho, por um profissional capacitado, pouco dolor e com pouco ou nenhum efeito colateral. Os resultados podem variar, mas podem durar até 12 meses, onde a pessoa deve fazer novamente o procedimento.

 

 

Em último caso, pode ser realizado um procedimento cirúrgico, por artroscopia, geralmente em casos mais graves, onde a cartilagem já está muito comprometida, as vezes até tendo parte do fêmur sendo afetado pelo problema. Cabe lembrar que o procedimento cirúrgico não é uma solução definitiva e não reconstitui as estruturas para um novo formato, mas serve como uma alternativa para casos mais graves. Ou seja, os pacientes operados deverão ter os mesmos cuidados com peso, realizar fisioterapia, reforço muscular, utilizar a viscossuplementação e evitar impacto ao máximo para não voltarem a ter o joelho comprometido.

 

Caso você suspeite de algum problema nos seus joelhos, procure a São Pietro. Nós possuímos um ótimo corpo de médicos traumatologistas e ortopedistas para auxilia-lo na prevenção, diagnóstico e tratamento dos seus joelhos e quaisquer estruturas físicas e motoras do seu corpo.

 

 

 

Please reload

CAPA - REVISTA MAIL3.jpg
Posts em destaque

Traumatologia - Artrose: O que é, Sintomas, Causas e Tratamento

30/11/2017

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga nossa fanpage
  • Grey Facebook Icon

CLIQUE AQUI 

e faça o download da versão online da Revista São Pietro News!