(51)  3371.6200       99388.4440

(51)  3464.0076

Responsável Técnico:
Dr. Luciano Zuffo
CRM-RS:  26798 / RQE 23181

(51)  3371.6225       99167.0593

Estacionamento no local

(51)  3783.8065       99167.2901

(51)  3191.9607

BLOG

Escoliose: Causas, Tratamento e Prevenção

07/07/2017

A Escoliose é uma condição que envolve curvatura lateral e rotacional complexa e deformidade na coluna vertebral. Geralmente a escoliose é classificada como congênita, juvenil, adolescente, adulta ou neuromuscular.

 

 

 

CAUSA

 

Várias causas podem estar relacionadas à escoliose, porém nenhuma tem consenso entre os cientistas. A ocorrência da escoliose é mais comum em mulheres e é frequente em pacientes com paralisia cerebral ou espinha bífida. Em alguns casos, a escoliose é de nascença devido a anomalia vertebral congênita. Ocasionalmente o desenvolvimento dela  na adolescência é devido à uma anomalia, mas na maioria dos casos a causa é desconhecida, conforme já comentado.

 

Ainda sobre as causas, sintetizando, temos as seguintes:

  • Idiopática: causa desconhecida (70% dos casos)

  • Neuromuscular: seqüela de doenças neurológicas, (ex.: poliomielite, paralisia cerebral).

  • Congênita: oriunda de uma má-formação fetal.

  • Pós-traumática

 

DIAGNÓSTICO

 

O diagnóstico da escoliose é feito através de testes clínicos e de radiografias.

Em todos os casos de escoliose, é fundamental o diagnóstico precoce e a avaliação clínica e radiológica do paciente completa. A avaliação postural faz parte da avaliação clínica. O médico traumatologista compara os dois hemicorpos do indivíduo nas vistas anterior, posterior e lateral, observando possíveis diferenças e assimetrias ( Calliet, 1979). O controle da evolução sistemática é a forma de minimizar os danos desse problema que, quando não tratada corretamente, pode causar danos irreparáveis com o passar do tempo.

 

 

TRATAMENTO

 

O tratamento e controle da escoliose é complexo e determinado pela severidade da curvatura, maturidade do esqueleto .

O tratamento da escoliose é complexo e baseia-se, dentre outros fatores, na idade, na flexibilidade, na gravidade da curva e na sua etiologia e probabilidade de progressão, compreendendo a correção das deformidades.

 

Normalmente o tratamento possui uma ordem:

1: Observação

2: Colete

3: Cirurgia

 

OBSERVAÇÃO

 

É o momento onde é feito o diagnóstico da escoliose, seu grau de curvatura, gravidade e causa provável.

 

A classificação das curvaturas escolióticas, dividiu desta forma: cervicotorácicas, torácicas, toracolombares, lombares e lombossacrais.

 

Com relação ao grau da angulação da escoliose, temos esta classificação e pré-determinação sobre o tratamento (que deve ser analisado profundamente caso a caso):

 

1) 0 à 10 graus: não há necessidade de tratamento fisioterápico.

2) 10 à 20 graus: há necessidade de tratamento fisioterápico.

3) 20 à 30 graus: tratamento fisioterápico e uso de colete ortopédico ou de Milwakee.

4) 30 à 40 graus: uso do colete ortopédico ou Milwakee.

5) 40 à 50 graus: somente tratamento cirurgico.

 

COLETE

 

O uso de colete só é feito em pacientes cujos ossos ainda estejam em processo de crescimento. A utilização de colete envolve encaixar no paciente um colete que cobre o torso e, em alguns casos, estende-se até o pescoço. O tipo de colete mais comum é o TLSO (pórtese tóraco lombo sacro).

O colete para tratar escoliose é usado geralmente por 23 horas ao dia e aplica pressão nas curvas da espinha. Os coletes típicos são apenas usados para curvas pequenas, não sendo capazes de corrigir casos mais graves de escoliose.

O grau de curva para qual o colete é aplicável é controverso, mas geralmente é aceito que curvas maiores que 30° têm pouca probabilidade de responder ao tratamento com colete.

 

CIRURGIA

 

A cirurgia para escoliose geralmente é indicada para curvas que tenham grande probabilidade de progressão, curvas que podem ser inaceitáveis cosmeticamente para adultos, em pacientes com paralisia cerebral ou espinha bífida que interfiram com os cuidados e ato de sentar, e curvas que afetem funções fisiológicas como a respiração.

 

Caso você desconfie que tenha escoliose ou algum parente, filhos, leve-o para um traumatologista ou ortopedista de confiança para realizar as análises e diagnósticos de forma correta e precisa.

A São Pietro Saúde pode lhe auxiliar, pois possui uma equipe especializada de médicos ortopedistas e traumatologistas que podem lhe auxiliar com a escoliose e quaisquer outras doenças da coluna, ósseos, musculares e traumas físicos.

 

 

 

 

 

 

 

 

cuidados e ato de sentar, e curvas que afetem funções fisiológicas como a respiração.

Please reload

CAPA - REVISTA MAIL3.jpg
Posts em destaque

Traumatologia - Artrose: O que é, Sintomas, Causas e Tratamento

30/11/2017

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga nossa fanpage
  • Grey Facebook Icon

CLIQUE AQUI 

e faça o download da versão online da Revista São Pietro News!