(51)  3371.6200       99388.4440

(51)  3464.0076

Responsável Técnico:
Dr. Luciano Zuffo
CRM-RS:  26798 / RQE 23181

(51)  3371.6225       99167.0593

Estacionamento no local

(51)  3783.8065       99167.2901

(51)  3191.9607

BLOG

Do colesterol ao estresse: entenda como o exercício físico afeta o organismo internamente

06/02/2018

Ficar com um corpo mais forte e tonificado é uma das consequências estéticas da prática do exercício físico e, muitas vezes, o principal objetivo de quem se propõe a encarar a academia ou realizar algum tipo de esporte. Mas são os efeitos menos perceptíveis da atividade física sobre o corpo que realmente promovem as mudanças mais significativas.

Estar em movimento produz efeitos fisiológicos e metabólicos no organismo, contribuindo para a regulação dos níveis de substâncias, como enzimas e hormônios, que determinam, por exemplo, a vulnerabilidade a doenças e infecções. Veja abaixo outros benefícios da atividade física que vão muito além dos músculos:

 

Queda no níveis de açúcar


A prática de exercícios físicos reduz a presença de açúcar no sangue, contribuindo para o controle do diabetes. Isso acontece porque, durante alguma atividade, o corpo utiliza o açúcar presente no sangue para obter mais energia e, consequentemente, diminui a glicemia (concentração de açúcar no sangue). 

Saiba como prevenir o diabetes tipo 2 com alimentação e hábitos mais saudáveis


Um dos principais benefícios associados à atividade física é a redução dos níveis de colesterol. Quando o corpo está em movimento, a circulação sanguínea aumenta, ativando o fluxo de sangue nas veias e nas artérias e evitando que a gordura acumule em suas paredes. Segundo o cardiologista Antonio Carlos Till, "atividades físicas aeróbicas regulares, como natação, corrida, tênis, futebol e andar de bicicleta, ajudam no controle do peso e aumentam o colesterol bom, ao mesmo tempo em que ajudam na redução do colesterol ruim, equilibrando as taxas".  

O remédio é necessário para evitar o colesterol alto? Veja mitos e verdades 


Não são só os alimentos que contribuem para o fortalecimento das defesas naturais do nosso corpo. Como explica o nutrólogo Cristiano Merheb, os exercícios físicos ativam o sistema imunológico, deixando o corpo pronto para combater infecções. Pessoas que praticam atividades físicas com regularidade, portanto, estão menos vulneráveis a doenças virais, como gripes e resfriados.

Veja a lista dos alimentos que reforçam o sistema imunológico


Ao estimular o aparecimento de pequenos vasos sanguíneos nos músculos (vascularização), o exercício físico faz com que o corpo forneça mais oxigênio para o tecido muscular e remova substâncias indesejáveis no organismo como, por exemplo, o ácido láctico. Isso não só resulta em maior eficiência durante o exercício, como também combate problemas como a dor muscular crônica e dores lombares, garante Cristiano. 

 

Aumento de concentração e memória


Durante a prática de atividades físicas, segundo Cristiano, o fluxo de sangue no cérebro aumenta e essa alta atividade das células cerebrais garante um melhor desempenho mental, durante e depois da atividade física. Além disso, como aponta a nutricionista Karen Schlösser, o exercício cardiovascular pode criar novas células cerebrais e melhorar o desempenho geral do cérebro. "Muitos estudos sugerem que as partes do cérebro que controlam o pensamento e a memória têm maior volume em pessoas que se exercitam em comparação às pessoas que não praticam uma atividade frequente", afirma.

Combate ao estresse e sensação de bem estar


Se sentir bem depois de correr na praia ou nadar algumas braçadas na piscina é normal, mas poucas vezes associamos essa sensação agradável aos efeitos do exercício físico sobre o nosso organismo internamente. A liberação de endorfina, substância naturalmente produzida pelo cérebro, tem ação analgésica, aliviando dores e promovendo os sentimentos de relaxamento e bem estar.

Ao induzir a liberação desse neurotransmissor, a atividade física também ajuda a combater o estresse e a ansiedade, a melhorar a qualidade do sono e a aumentar a autoestima. "O exercício libera endorfinas, que criam sentimentos de alegria e euforia. Por esta razão, recomendo que as pessoas que sofrem de depressão pratiquem alguma atividade", explica a nutricionista.

 

Exercitar-se ao ar livre é ainda melhor! Quando em contato com o sol, o corpo absorve mais vitamina do tipo D, que está relacionada à liberação do neurotransmissor serotonina e também melhora a absorção de cálcio, contribuindo para o fortalecimento dos ossos. 

 

 

Please reload

CAPA - REVISTA MAIL3.jpg
Posts em destaque

Traumatologia - Artrose: O que é, Sintomas, Causas e Tratamento

30/11/2017

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga nossa fanpage
  • Grey Facebook Icon

CLIQUE AQUI 

e faça o download da versão online da Revista São Pietro News!